Luz de posição: o que é, como usar?

Todos os carros, mesmo aqueles mais antigos, portam em seu conjunto ótico um dispositivo de baixa luminosidade, conhecido como luz de posição. Trata-se de um auxílio para indicação da presença do automóvel e não deve ser utilizado de forma ampla, já que o veículo dispõe de farol de facho baixo e farol alto.

cooperseguros 15 de Dezembro de 2018 as 11:27:56

Também conhecida como lanterna ou mesmo farolete, a luz de posição é um dispositivo de baixa iluminação que está presente em todos os carros. Sua função é tornar o carro visível para outros motoristas e também para pedestres, especialmente durante manobras ou estacionamento. Utiliza-se geralmente lâmpadas comuns de baixa potência.

A luz de posição é um indicador da presença do veículo e está posicionado na frente do veículo, seja dentro do corpo dos faróis ou em lentes separadas, que assim deve ser sinalizado com o carro parado momentaneamente à noite com motor ligado para embarque ou desembarque de passageiros, bem como para carga ou descarga de mercadorias.

Em espaços reduzidos, como estacionamentos, por exemplo, o motorista deve ligar as luzes de posição para efetuar a movimentação do veículo, especialmente se o local não tiver iluminação, mas mesmo com esta, a luz de posição ajudará ao pedestre ou terceiro ao volante, visualizar que o veículo está manobrando.

Outro uso para a luz de posição é o fator climático, podendo ser usado sob chuva e também com neblina, auxiliando na visualização do carro por parte de outros condutores. Deve-se lembrar que o uso do farol baixo nessas condições é recomendado. Entretanto, a luz de posição fica acesa em alguns carros, mesmo com este facho mais forte acionado, como é o caso do Honda Fit antigo, por exemplo.

Luz de posição: ajuda também dentro do carro

Em alguns carros, o uso da luz de posição permite que o veículo tenha o painel iluminado, assim como outros itens. Se este for geralmente difícil de enxergar, especialmente sob luz forte, o acionamento dessa lanterna permite que a instrumentação fique mais visível com sua iluminação igualmente ativada.

Não se deve, no entanto, usar a luz de posição como lanterna de neblina, sendo que está tem sua própria função em alguns carros que a dispõe. Caso não tenha, não há como usar essa luz auxiliar nessa condição. Também ela não substitui um DRL ou luz de circulação diurna, tão famoso ultimamente. Este pode ser de LED ou lâmpada e pode ser usado na estrada no lugar do farol baixo.

A luz de posição, reforçando, não pode ser usada como farol baixo e nem para cumprir as funções do restante do conjunto ótico. O motivo é que a lâmpada da lanterna dianteira, digamos assim, é muito fraca, tendo apenas 5 watts. Com apenas isso, ela permite ser visualizada há somente alguns poucos metros do carro e nada mais.

A assinatura visual em LED é outro recurso que não deve ser utilizado no lugar da luz de posição em sua função ou vice-versa. Esta é meramente estética e não cumpre a função de visualização do veículo.

Para quem esteja pensando em ampliar a potência da luz de posição, o Artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro, proíbe qualquer alteração na iluminação original do veículo, o que gera multa de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH, fora a retenção do carro para correção das alterações.

Além disso, o uso incorreto da lanterna, como na estrada ou em túneis, por exemplo, acarreta em multa de R$ 130,16 e mais quatro pontos na CNH. Ou seja, utilize a luz de posição somente no que sua função assim o determina, deixando assim o veículo visível durante o dia na cidade e em locais restritos, bem como parado em vagas na via.

Fonte: Notícias Automotivas

 

 

Além da presença, a luz de posição indica a largura do veículo na via. Durante o dia, na cidade, recomenda-se seu uso, especialmente em dias de clima ruim. Deve-se, no entanto, mudar para farol baixo em túneis e durante a noite, assim como seu uso obrigatório na estrada, conforme lei federal determina.

Tags: